segunda-feira, 3 de julho de 2017

Vince Clarke : Parabéns !!!


Vince Clarke, comemora hoje, seus 57 anos.
Parabéns para um dos fundadores do Depeche Mode !
Segue abaixo uma biografia que fiz há um tempo atrás....

          Vincent John Martin, nasceu em South Woodford, Londres, no dia 3 de julho de 1960. Foi criado em Basildon, onde começou estudando violino e depois piano.
          Ainda que hoje em dia, Vince Clarke seja um absoluto ateu, por muito tempo ele fez parte da Boys Brigade - um de grupo de jovens missionários cristãos, onde tinha a tarefa de recrutar não-crentes e organizar concertos para ala jovem da igreja. Foi na Boys Brigade, durante os anos 70 que Vince conheceu Andrew Fretcher, com quem formou o No Romance In China, uma banda que se esforçava em fazer pálidos covers do The Cure, onde Vince tocava 'muito mal' guitarra. Antes disso Vince fez parte de um duo gospel, o qual ele se nega terminantemente o nome. "Nem para Andy (Bell) eu contei.".
          Em 1979, mudaram o nome para “French Look”, logo em seguida Vince conheceu Martin Gore com quem resolveu formar uma nova banda, Andy Fletch não quis ficar de fora, daí então surgiu o Composition Of Sound. Os shows do trio não chegavam a irritar, mas também não convenciam ninguém. Vince sempre acabava os shows sumido num completo marasmo e o público saia com a idéia de que desse jeito o grupo não iria a lugar algum. Com o tempo Clarke se cansou de tomar conta da programação dos ritmos, compor as músicas e ainda ser o responsável pelos vocais. Com isso David Gahan foi recrutado para ser o novo vocalista. Uma fase de transição começou para o grupo. Vince trocou sua guitarra por um sintetizador, e a banda passou a chamar-se Depeche Mode.
          Depois do lançamento de três singles e do primeiro álbum (Speak and Spell), Clarke resolve abandonar o DM. "É muito difícil achar alguém com quem trabalhar, é meio como achar um namorado ou namorada para viver junto. No Depeche nós não gostávamos uns dos outros, brigávamos demais.". Mas segundo as más línguas, Vince saiu mesmo porque o grupo recusou gravar a faixa "Only You". Além disso outro fator que talvez contribuído para sua saída, tenha sido os rigores que teria de encarar numa série de apresentações ao vivo, coisa que Vince sempre detestou fazer.
          Sem ressentimentos, Clarke não vê com muito entusiasmo as carreiras de seus ex-colegas do DM. "Gosto de algumas coisas no Depeche, mas em geral é tudo muito para baixo. O Martin precisa escrever ao menos uma única música feliz em sua vida, ai então será uma surpresa.".
          Certo mesmo é que meses mais tarde, Vince formaria com a cantora de R&B Alison Moyet o extraordinário Yazoo (Yaz nos Estados Unidos). Esse projeto de Vince, durou 2 anos, 82/83, quase conseguiu a combinação perfeita entre a música eletrônica e a melodia suave cantada pela voz soul de Alison. Um dos grandes sucessos do Yazoo, foi curiosamente "Only You", que chegou ao número dois das paradas de sucessos inglesas, e que mais tarde receberia versões de artistas como Judy Collins, Rita Coolidge, Richard Clayderman ou Enrique Iglesias. Infelizmente o Yazoo teve vida curta, durou apenas dois álbuns. "Era meio como a gata e o rato, mas na verdade eram dois gatos. Alison não gostava do que estávamos fazendo, e isso acabou com o nosso relacionamento.". Alison seguiu, sob o pseudônimo de Alf, uma fracassada carreira.
          Movido por sua inquietude e paixão pelos sintetizadores, Vince formou com Robert Marlow e Eric Radcliffe (produtor do Yazoo e dos primeiros álbuns do DM), o The Assembly. Um projeto com vocalistas convidados, que só durou um single, em 1983 – “Never, Never”. "Era difícil encontrar a pessoa certa para cada música, então tornou-se inviável produzir um álbum. Na verdade, estava mesmo era procurando o vocalista certo.". Depois disso, Vince fundou sua própria gravadora, a Reset Records e produziu vários temas para anúncios de TV, entre eles um para a Volkswagem. Em 1985, junto com Paul Quinn, lançou o single “One Day”.
          Finalmente em 1986, o grande mago dos teclados, conheceu Andy Bell, com quem formou o bem sucedido Erasure, banda que fabrica hits até os dias de hoje. Com o Erasure, Vince conseguiu deixar para trás o seu maior temor: as apresentações ao vivo e tornou-se um músico quase normal. "Me vejo mais como técnico do que como músico. Não tenho muitas habilidades com teclados, preciso apertar uma tecla de cada vez.".
          Colocaram muitos singles nas paradas, lançaram mais de 14 discos, e já passaram pelo Brasil, com a tourné “Wild Tour” de 89/90, em Porto Alegre, Rio De Janeiro e São Paulo.
          Em 1997, com a “Cowboy Tour” , através do Festival Close Up Planet, passando por Curitiba, São Paulo e Rio De Janeiro.
          Participaram em 14/05/2011 – Do “Short Circuit presents Mute Festival”, no London’s Historic Roundhouse.
          Vince divulgou ainda nesse ano, que estava trabalhando – sem data definida de lançamento – um álbum com o Martin L. Gore. (rumores de álbum voltado ao “tecno”).
          Anunciaram em 2011, com a “Total Pop Tour”, 5 datas no Brasil :
          04/08 – Brasília, Pontão Do Lago Sul
          06/08 – Rio De Janeiro, Citibank Hall
          07/08 – Belo Horizonte, Chevrolet Hall
          09/08 – São Paulo, Credicard Hall
          11/08 – Porto Alegre, Pepsi On Stage

          Em 03/10/2011 lançaram o álbum “Tomorrow’s World”.
          Já em 30/11/2011 – lançou o EP – “Spock”, já como VCMG (Vince Clarke Martin Gore), que antecipou o album “SSSS” – que foi lançado em 12/03/2012.
          O Projeto ainda rendeu mais dois singles : “Single Blip” em 20/02 e “Aftermaths” em 20/08/2012.
          Erasure continua na estrada, sempre lançando albums e ótimas tournés.
          Snow Globe em 2013, um album voltado para os temas natalinos.
          The Violet Flame em 2014.
          World Be Gone em 2017.

           Embora a genialidade de Vince Clarke tenha deixado muitos bons frutos na longa estrada da música pop dos anos 80, ele descarta a possibilidade de ter sido influencia à alguém. "Não acredito que tenha influenciado ninguém, o Depeche Mode sim, influenciou muita gente. As pessoas  vivem me enviando fitas-demo, e todas elas parecem com o Depeche.".
          Uma Observação Importante : esse texto foi parcialmente traduzido por mim e uma amiga, Cynthia Pucci, para a página “For The Masses”, do meu amigo All75.
          Eu apenas atualizei e inclui alguns dados que achei necessário, nessa biografia do Vince.
















Parabéns Vince !!!
Faith & Devotion
JeanBong13

Um comentário:

Heroes - Highline Sessions

Vazou por um curto tempo na internet, o vídeo “Highline Sessions Version” da faixa “Heroes”. Tomara que ...